Sócio de empresa bilionária do aço vai fabricar tubos gigantes – Blog da Costura

[ad_1]

Se você quer Ganhar Dinheiro com Costura, clique aqui e veja a história da Solange Pereira!

O empresário Frank Bollmann, sócio da Tuper, uma empresa bilionária do setor de aço, está investindo mais de R$ 80 milhões em uma nova fábrica da sua indústria Steelmast, localizada em Rio Negrinho, Santa Catarina. A fábrica vai produzir tubos gigantes de aço com costura, com diâmetros de até dois metros. Essa investida da Steelmast vem em resposta à demanda gerada pelo novo marco nacional de saneamento, que prevê que até 2033 todos os municípios do Brasil ofereçam 100% de água potável e 90% de saneamento para seus habitantes.

Frank Bollmann ressalta que a nova fábrica vai gerar 200 empregos diretos e prevê a abertura de mais 100 vagas até março de 2024, quando o investimento estiver concluído. Ele também destaca que a Steelmast já está homologada em todas as grandes empresas de saneamento do país, o que a coloca em posição privilegiada para atender a demanda gerada pelo marco do saneamento.

Além dos tubos gigantes para saneamento básico, a Steelmast também fabrica postes para transporte de energia, tubos para minerodutos e itens para grandes construtoras do Brasil. Atualmente, a empresa fatura cerca de R$ 120 milhões por ano, mas Bollmann espera que esse número cresça com a nova fábrica.

Além da Steelmast, Frank Bollmann é fundador e presidente da Tuper, uma indústria de São Bento do Sul que produz tubos de aço com costura. A Tuper é uma das maiores processadoras de aços da América Latina e uma das maiores clientes mundiais da ArcelorMittal, com compras anuais da ordem de R$ 2 bilhões. A empresa deve fechar este ano com um faturamento de R$ 2,8 bilhões, mesmo que um pouco abaixo dos R$ 3,3 bilhões de 2022, devido à variação do preço do aço.

O investimento de Bollmann na nova fábrica da Steelmast e o desempenho da Tuper refletem o otimismo do empresário em relação ao futuro do setor de aço e sua confiança na recuperação da economia brasileira. A expectativa é que esses investimentos impulsionem não apenas as indústrias de Bollmann, mas também toda a cadeia produtiva associada a elas.

[ad_2]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *