Poder Judiciário do Estado do Acre – Blog da Costura

[ad_1]

Se você quer Ganhar Dinheiro com Costura, clique aqui e veja a história da Solange Pereira!

O Poder Judiciário do Estado do Acre, por meio do Grupo de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF) do Tribunal de Justiça do Acre (TJAC), desenvolve o projeto Escrevivências, que visa pautar e educar as relações étnico-raciais no sistema prisional para o público encarcerado, uma vez que 80% dessa população é composta por pessoas negras.

Recentemente, uma equipe do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) visitou o projeto Escrevivências na Unidade de Regime Fechado Feminina de Rio Branco, com o objetivo de conhecer a iniciativa para possível implementação no Estado do Amazonas. A juíza Ana Paula de Medeiros Braga Bussulo destacou a importância do projeto, que oferece atividades como ginástica laboral, leitura e escrita, proporcionando um momento de liberdade e descontração para as reeducandas.

Além do projeto Escrevivências, a equipe do TJAM conheceu a malharia da unidade prisional, onde são realizados cursos de corte e costura, com máquinas adquiridas por recursos provenientes de penas pecuniárias.

O projeto Escrevivências da Libertação tem como objetivo principal desenvolver o pertencimento, consciência e educação das relações étnico-raciais com mulheres negras em privação de liberdade por meio de processos de leitura e escrita que perpassam as trajetórias de vida. A iniciativa foi uma das 17 aprovadas para receber recursos das penas pecuniárias, edital de 2022 da Vara de Execuções Penais e Medidas Alternativas da Comarca de Rio Branco.

Cláudia Marques de Oliveira, uma das fundadoras do projeto, destaca a importância de trazer histórias de mulheres negras relacionadas ao pertencimento negro e reforça a dificuldade em desenvolver o pertencimento e fortalecimento de mulheres negras no contexto prisional, especialmente devido à baixa escolarização e acesso à leitura.

O projeto Escrevivências busca promover o conhecimento e transformação por meio das experiências e memórias das reeducandas, utilizando a leitura e a escrita como ferramentas para reconstruir e redirecionar suas trajetórias de vida.

Em resumo, o projeto Escrevivências desenvolvido pelo Poder Judiciário do Estado do Acre tem como objetivo educar as relações étnico-raciais no sistema prisional e proporcionar atividades que promovam o pertencimento, consciência e transformação das reeducandas, com foco especial nas mulheres negras em privação de liberdade.

[ad_2]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *