Habitação: a ocupação que se regularizou e se tornou ‘mini-Bolívia’ em SP – Blog da Costura

[ad_1]

Crédito, Vitor Serrano/BBC

Legenda da foto,

Várias danças tradicionais da Bolívia foram apresentadas em festa comemorativa no bairro

“Uma amiga chegou e falou: ‘Cosme, quer sair do aluguel? Vamos invadir um terreno ali no Parque Novo Mundo?’. Eu tinha cinco filhos em casa, 20 anos pagando o aluguel, a mulher desempregada, com bolso apertado. Aceitei na hora… Foi um reboliço danado, tinha gente demais.”

Quem conta é o comerciante Cosme Correa, de 59 anos, que, com a esperança de melhorar as condições difíceis da família, nos primeiros dias da invasão, escolheu um lote e rapidamente construiu seu sobrado na ocupação sem-teto Douglas Rodrigues, na Zona Norte de São Paulo.

Cosme e a família fazem parte da primeira leva de moradores do aglomerado com 2 mil sobrados de tijolos vermelhos, sem reboco ou pintura, que muda a paisagem da Marginal Tietê, importante via da cidade, formada principalmente por edifícios residenciais de classe média, lojas de decoração e garagens de transportadoras de carga.

O assentamento, um dos maiores de São Paulo, com 12 mil pessoas – centenas delas imigrantes bolivianos -, completou dez anos de existência em 2023.

[ad_2]

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *